Hi!

I'm a journalist, audio producer and researcher. For the past twelve years, I have been reporting on issues related to human rights, equality and social justice. I'm also a recent graduate of the Transom Story Workshop.

I was born in São Paulo, Brazil. Before coming to the United States, I worked for eight years at Globo, the biggest media company in South America. During that time, I traveled throughout Latin America and Africa following elections and referendums and covering issues ranging from the struggles of the residents of São Paulo’s periphery to the 2011 humanitarian crisis in the Dadaab refugee camp in Kenya. In 2012, I was a finalist for Brazil's Women in the Media Award and, in 2015, I was awarded Best Online Report from the Brazilian Psychiatry Association for my article on pedophilia.

I got my Master's degree in Latin American Studies from the University of Texas at Austin. My thesis analyzed the absence of women in Brazilian history textbooks and the lack of diversity in the school curricula. 

Ethics statement
I have no political party affiliation, either in Brazil or the United States. I stand for equality and human rights. Feminist, anti-racist and pro-democracy.

Professional affiliations: Association of Independents in Radio (AIR) and National Association of Hispanic Journalists (NAHJ).

Oi!

Eu sou jornalista, produtora de áudio e pesquisadora. Atualmente trabalho como repórter freelancer especializada em temas relacionados a direitos humanos, diversidade e (in)justiça social. Sou também ex-aluna da residência em produção de áudio Transom Story Workshop. 

Nasci em São Paulo e me formei em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Por oito anos, trabalhei como repórter do G1, o site de notícias da Rede Globo. Nesse período, fiz coberturas nacionais e internacionais — como o resgate dos mineiros no Chile, o terremoto de 2010 no mesmo país, a crise de fome e seca no campo de refugiados de Dadaab, no Quênia, e a morte de Nelson Mandela na África do Sul. 

Em 2012, fui finalista do Troféu Mulher Imprensa e, em 2015, recebi o prêmio ABP de jornalismo, da Associação Brasileira de Psiquiatria, pela reportagem "Pedófilo relata tentativas de tratar a doença e o medo do descontrole", publicada pelo G1. 

Em 2017, defendi minha dissertação de mestrado sobre a ausência de mulheres nos livros didáticos de história no Brasil, na Universidade do Texas, nos Estados Unidos. 

Posicionamento ético
Não sou filiada a nenhum partido politico no Brasil ou nos Estados Unidos. Apoio a luta por igualdade e os direitos humanos. Feminista, antirracista e pró-democracia.